sexta-feira, 28 de maio de 2010

DOENÇA DE CROHN

E uma doença Inflamatória intestinal crônica que acomete uma ou mais partes do tubo digestivo, desde a boca, passando pelo esôfago, estômago, intestino delgado e grosso, até o reto e ânus. Sua causa é muitas vezes desconhecida e um dos fatores que podem desencadear crises da doença é o estresse. Esta doença não tem cura, mas é tratável e controlável com acompanhamento médico.
Suas manifestações clínicas mais comuns são dor abdominal e diarréia, formação de fístulas e sintomas obstrutivos intestinais. Os segmentos do tubo digestivo mais freqüentemente atingidos são o íleo, o cólon e a região perianal. Além das manifestações no sistema digestório, a doença de Crohn pode ter manifestações extra-intestinais.
Os sintomas, variados e recorrentes, dificultam o diagnóstico. “Sua apresentação mais freqüente ocorre sob a forma de diarréia crônica ou prisão de ventre, dor no abdômen, associados à perda de peso, sangramento intestinal e dores nas articulações”, náuseas e vômitos com febre moderada, sensação de distensão abdominal, piorada com as refeições, mal-estar geral e cansaço também são diagnosticados.
A dieta a ser empregada dependerá da fase de atividade da doença e de sua localização no trato digestivo. A duração média das crises varia em cada paciente, e a confirmação da doença exige a realização e análise de exames específicos.
O tratamento da Doença de Crohn é individualizado de acordo com as manifestações da doença em cada paciente. Como não há cura, o objetivo do tratamento é o controle dos sintomas e das complicações. No entanto, as terapias disponíveis atualmente permitem controlar os sintomas satisfatoriamente. Os medicamentos atuam reduzindo o processo inflamatório que acomete a mucosa intestinal, permitindo a cicatrização das lesões causadas pela doença. Além disso, eles conseguem aliviar de maneira significativa os sintomas de diarréia, sangramento retal e dor abdominal.

Fontes:
WILLIAMS, S.R. Fundamentos de nutrição e dietoterapia. 6 ed. Artmed. 368, 369 p.
MANHAN & SCOTT-STUMP. Krause: Alimentos, Nutrição e Dietoterapia. 9 ed. Ed. Roca Ltda. 1998. 645, 646, 648 p.
PINHO, M. A Biologia molecular das doenças inflamatórias intestinais. Rev. Bras. Colo-Proctol., Mar 2008, vol.28, no.1, p.119-123. ISSN 0101-9880

Nenhum comentário:

Postar um comentário